terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Gritos Silenciosos.

Violência
Revolta
Angústia
E medo de existir

A vida lá fora
Te faz pensar em desistir
Um corte, mais forte
Pra tentar parar de sentir

Não vou mais
Me calar...
Diante do que você
Me diz...

Tudo isso é uma ilusão...

Cansei...
De não ser ouvido!
Cansei...
De lutar pela paz!
Nesse mundo corrompido
Onde o justo, é incapaz

Cansei...
De não ter certeza!
Cansei...
De não poder gritar!
Cansei...
De ser invisível...
Meu coração é de pedra,
Mas minha alma é voraz

Se a sua vida é perfeita
Eu te peço por favor
Não se meta na minha
Vivo à sombra do amor

Cansei...
De não ter futuro
Cansei...
Do vazio dos demais
Me afogo nesse porto seguro
Onde o escuro brilha mais...

Luke (CLS)

Tenham um dia cheio de cor.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Veneno Mor(t)al

Corra pra bem longe de mim
Antes que eu possa te encontrar
Se você quiser ficar aqui
Te cobro o preço, custe o que custar

Eu cansei de ouvir você
Achando que tem tanto a falar
Você se acha tão profunda
Tome cuidado pra não se afogar

Nessa sua superficialidade
Eu cansei de tentar enxergar
Pelo reflexo do avesso,
Algum modo para te agradar.

Vá embora, saia daqui
Você nunca me ouviu falar
Se eu não tenho nada a dizer
Volte seus ouvidos pra outro lugar

Já perdi tempo de mais
Não indo a lugar nenhum
Tudo que eu queria ficou pra trás
E você não é mais o número um.

Luke (CLS)

Tenham um dia cheio de cor.

sábado, 26 de novembro de 2011

O quarto escuro.

Ela era tão linda que parecia modelo e vestia-se com roupas oriúndas dos áureos tempos das pinups. Tinha todos os rapazes aos seus pés, a vida lhe agraciava com a mais pura sorte e tranquilidade que se pode ter. Muitos pensavam que ela era feliz, mas estavam terrivelmente enganados. Sentia um vazio, uma enorme sede de existência que não podia ser preenchida pelas futílidades que alegram a maioria das pessoas. Queria mais, muito mais... o problema era: Ela não sabia mais do quê. Tentou de tudo dentro dos limites impostos pela sanidade. Correu mundos atrás do que procurava, mas do que adianta procurar por algo que você não sabe o que é?
Concluiu isso a si mesma e desistiu de procurar, foi tomada pelo tédio oríundo dos poetas do Mal do Século. Sua vida agora era um agoizante passar de tempo à espera da morte, eis que esta chegou.
E foi nesse exato momento que ela descobriu o que queria: Uma dose de tequila e alguém pra amar.

Tenham um dia cheio de cor.

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Cidreira.

O tempo passou para nós,
A gente não era o que foi,
Se ainda lembro da tua voz,
É porque isso ainda me dói,
Nosso passado é mais que perfeito,
Mas o nosso futuro, é decadente.
Suas lembranças são doces pesares,
Que eu carrego em minha mente.
Se a mentira foi feita pra amenizar,
Então explique-me pausadamente.
Por que deixaste-me acreditar,
Que você não era humana como a gente?
Você não tem coração de pedra,
Mas seu orgulho, é o que te afeta.
Você nunca quis mudar...
E, se hoje penso em te perdoar,
É porque tudo que eu tenho são lembranças nossas,
Eu não conheci outro mundo pra amar.

©2011 Luke

Tenham um dia cheio de cor.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Uma noite a mais...

O rádio tocava Arctic Monkeys enquanto o céu rasgava de negro aquela tarde de primavera. Os amigos compartilhavam a juventude e a inocência próprias da idade, e conforme o sol ia se escondendo atrás daquele rio, o brilho ia sendo revelado por baixo da pele pálida daquelas almas anceosas por adrenalina.
Entre realidades alcóolicas e incertezas juvenis, as peças de roupas eram abandonadas no chão daquele apartamento empoerado no bairro boêmio da cidade esquecida. Os toques macios os beijos tenros e doces, a vida se mostrava ao longo das linhas curvas daqueles corpos. Corpos esses despidos de tudo: roupas, preconceitos, certeza. Apenas poesia exalando da física do atrito.
O sol se pôs e um grito foi ouvido ecoando do quarto. Eles estavam completos.
E mais um dia se põe sob o seio da luxúria.

Tenha um dia cheio de cor.

O que sobrou de nós...

Passaram-se dias em silêncio, como se pudessem... ambos imersos em infindáveis pensamentos de dor e sofrimento. Ele alimentava por ela um desejo já expresso, enquando ela, por sua vez nutria uma amizade terna e fraternal... Ah, o velho dilema, de certa forma ele também apreciava sua amizade, mas achava injustos que os toques não pudessem passar de abraços e beijos no rosto.
Queria mais, mas não sabia como... achou que um afastamento fosse a tática mais eficaz, pensava que recomeçar do zero lhe traria os benefícios que a proximidade lhe tirara. A dor de não poder falar com quem se ama, presente de volta num romance moderno... Vidas passam, dias se vão, e os dois seguem sem se falar, como pura prova de amor e amizade.

Tenham um dia cheio de cor.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Você a ama porque ela está morta.

Ela era daquelas que fazia de tudo pra agradar, estava sempre ali caso ele precisasse. Mas ele nunca a chamava e aos pouco a angústia da espera se tornava desespero, e ela se tornava tudo aquilo que sempre detestou. Se perdendo aos poucos, deixando um pedaço seu em cada parte da cidade, diluindo sua alma em álcool e soprando sua vida atráves de um maço de cigarro. Ela gritava por ajuda, ninguém a ouvia. De repente ele percebeu que também gostava dela, enquanto largava flores em seu túmulo, nada mais podia ser feito. Ele amava ela, mas ela estava morta.

Tenham um dia cheio de cor.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Praça da Matriz

Alguns chamavam de amizade, outros de desejo reprimido, ninguém sabia ao certo o que aquilo era, nem eles mesmos. Só sabiam uma coisa: era algo mal resolvido, os encontros furtivos todos esses anos provariam que nada mudaria, não importava o que fizessem. E eles tentaram de tudo, de uma conversa racional com troca de farpas a sexo no sofá ao som de Depeche Mode.
Amantes-amigos, amigos com vantagens, melhores amigos, ninguém sabia ao certo o que aquilo era, nem eles mesmos.

Tenham um dia cheio de cor.

A Rede Social

Passaram-se meses e eles continuavam sem se falar, cada um com mais vontade que o outro, mas seguiam impedidos por um orgulho besta daqueles de cegar corações. Ah, o ódio adolescente! Ninguém quer dar o braço a torcer não é mesmo? Perdidos em mundos paralelos ficando a apenas uma esquina de distância um do outro, mas sem trocar uma só palavra.
Vendo-se em cada mísero lugar possível, passando noites em claro pensando em uma forma de reverter a situação e esperando o outro tomar uma iniciativa para alimentar o próprio ego. Nada foi dito, nada foi feito, tudo terminou da mesma forma que começara: Uma venenosa troca de indiretas seguida de um silêncio profundo.

Tenham um dia cheio de cor.

domingo, 12 de junho de 2011

farewell

a thousand words were spelled out,

as long as our worlds are crumbling down

if your intention was run away

why you’ve made me believe you would stay?

i just wanted to make you smile

i never wanted to enter in your life

but you made me make it this way

then our lifes collided and we separated

so long, and goodbye

i can’t waste my time

hope you understand i really like you

but i can’t wait you make it through

because my life changes everyday

and i’m getting tired of just complain

so if you won’t change i just can say

was good to met you when you worth

and thank you for show me all your love

by: ciro lux

tenham um dia cheio de cor.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Incompleta

Eu tentei te mostrar
Com as frases mais bonitas
Tudo que eu senti
Mas as palavras
Fogem da minha boca toda vez que olho pra ti
E eu tentei te ensinar
Que existe um outro lado além da solidão
Mas você não me ouviu
E hoje só há dor no seu coração
Não pense que eu vou voltar atrás pra te fazer sorrir
Já tentei isso uma vez
E hoje nós dois estamos aqui
Se tudo que restou
Foi o silêncio
Eu só queria te dizer
Que a vida segue
E não sou eu quem vai sofrer.

©2011 Ciro Lux de Souza

Tenham um dia cheio de cor.

domingo, 17 de abril de 2011

Sobre nós dois e algo mais.

Você deve achar

Que eu sou o rei do drama ou coisa assim

Mas te confesso que eu não espero ver você voltar

Só quero ter a certeza de que vai ficar bem sem mim

Já te falei, estou aqui apenas para te salvar

De você mesma, e o seu rancor...

Olhe pra você, tão na sua fingindo estar tudo bem

Eu já nem sei, o quanto mais de você ainda é real

Pois lá no fundo sei que sangra e sofre como qualquer alguém

Que o coração foi destroçado até parar de bater

Sei que falhei em te dar tudo que você precisava

Mas e todos aqueles momentos que a gente viveu?

Foi você quem me disse para não temer o amor

Então o que está fazendo agora presa em sua dor?

Se hoje eu estou aqui

É apenas pra te falar

Sempre acreditei em ti

E te espero acordar

Sei que não tenho nada a ver com sua vida, mas...

Sei também que o seu silêncio está a me matar

Quero saber, o que afinal eu fiz de tão ruim?

A ponto de depois de tudo você querer me evitar

Seria angústia solidão ou algo assim?

Não tenha medo eu só quero te ajudar...


Ciro Lux LLC.

Uma música que fiz esses dias, enjoy!

Tenham um dia cheio de cor.

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Três Meses

Toda vez que olho esse blog eu morro de vergonha, afinal, sobre tudo que escrevi aqui só posso pensar algo de mim: babaca! No entanto não penso jamais em apagar nada do que tenha escrito aqui, pois são provas do meu amadurecimento, porque se eu tenho vergonha do que eu escrevi é sinal de que eu não penso mais daquela forma, e assim me sinto livre pra continuar.
Muitas coisas aconteceram nos últimos três meses e me fizeram amadurecer como nunca, entre elas iniciei um novo relacionamento, que por sinal no momento está numa fase meio estranha porque ela tá insegura e tudo mais, enfim...
Já superei diversas coisas, aprendi um monte, ganhei amigos que vou levar pra vida toda, mas ainda falta algo, e este algo meus caros chama-se amizade. Melhor dizendo um grupo de amigos, uma turma, aquele lugar ao qual você pertença; sei que pra isso terei que rebaixar meu nível de expectativas, afinal, eu sempre espero muito das pessoas, e talvez isso me afaste da maioria delas, e seguimos trabalhando na eterna batalha contra mim mesmo. Entre as coisas que estou trabalhando pra melhorar é tratar o meu DDA - você que lê este blog deve ter percebido minha dificuldade de manter a linha de pensamento - e minha ansiedade excessiva.
De qualquer modo 2011 vai ser um ano intenso e já está sendo, agora é viver e ver o que acontece.

Tenham um dia cheio de cor.

sábado, 12 de fevereiro de 2011

The war in your eyes

About 7 billion souls
Meeting each other into the chaos
Living empty lifes pretending
Someone will save'em from themselves

No one really knows the truth
But they fake it so well
For everyone who finds the cure
There's more stuck in hell

How much pain you have inside?
How many fears you left behind?
What you want from your life?
Break your eggs and make it right

Ego battles consuming everything
But in the reality
Happiness is a simple thing
The people forgott how is like

Say, say, say... all you want to say
Feel, feel, feel because the life is real
Don't, don't, don't hide who you are
The price don't worth your entire life


Ciro Lux de Souza