quarta-feira, 21 de março de 2012

CP1919

Suas pernas abrem ao passo que meu coração se fecha, nossos lábios se tocam enquanto tu repousas suas ideologias embriagadas num sofá empoeirado comprado em 63. Ao redor todos discutem filosofias e visões de mundo de grandes pensadores, não nós. Somos maiores que qualquer discussão, nossos corpos debatem entre si com mais veemência do que qualquer votação na Câmara dos Lordes. A vida lá fora passa como um tiro, e pra nós passa devagarinho, somos pássaros joviais. A trilha sonora que nos embala, nos faz refletir.
Amanhã é outro dia, podemos deixar esse papo pra depois, mas só temos o hoje para amar.

Tenham um dia cheio de cor.

Matéria escura

Parem as máquinas, não há nada mais para descobrir, não há pelo que lutar, nem motivos pra morrer. Somos sobreviventes sem propósito, vivemos sem questionar regras que nos foram impostas por quem nem conhecemos. Ricos e pobres, negros e brancos, japoneses e coreanos, todos somos parte do mesmo ciclo vicioso. Somos o que sobrou da ideologia, não fazemos mais sentido

O fim do mundo não virá com meteoros, terremotos e tsunamis, o verdadeiro apocalipse está no congelamento de nossos corações.

Tenham um dia cheio de cor.